Roc2c Blog

If you need a real good pavement for your home, Roc2c has the solution for you!

7/16/15

O que explica a Luz de Lisboa? Calçada e colinas também dão uma ajuda

Museu de Lisboa promove exposição sobre a famosa luz da cidade, destacada por vários artistas. As razões de tanta luz estão nas muitas horas sol, naturalmente, mas também na forma como a capital foi construída.

Oiça o áudio aqui:
http://www.tsf.pt/paginainicial/AudioeVideo.aspx?content_id=4683346

Horas e horas de sol, mas também as colinas e até a calçada portuguesa são algumas das razões que explicam a famosa Luz de Lisboa. O assunto é tema de uma exposição artística e científica inaugurada hoje ao fim da tarde e promovida pelo Museu de Lisboa no Torreão Poente do Terreiro do Paço.


A comissária científica, Ana Eiró, explica à TSF que não foi fácil montar uma exposição sobre algo imaterial, que não se vê nem se toca. Ainda por cima, a luz de Lisboa não tem uma mas sim várias explicações que, conjugadas, "contribuem para o ambiente encantatória da luz da cidade" enaltecida por poetas, escritores, pintores, fotógrafos e cineastas, portugueses ou estrangeiros.


O primeiro factor é, obviamente, o sol. Lisboa está numa localização geográfica e climática que limpa, com muita frequência, as nuvens do céu da cidade. A capital portuguesa tem, em média, por ano, 2.786 horas de sol, quase o dobro do que acontece em Londres e mais de mil horas acima de Paris ou Berlim.
Além do clima, a luz da cidade é potenciada pelas colinas que segundo Ana Eiró, também professora de Física da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, ajudam a concentrar o sol: "não são elevações grandes, mas têm um efeito semelhante ao que fazem os fotógrafos com aquelas espécies de espelhos que usam para tirar as sombras das caras dos artistas". Depois, devido às colinas que o rodeiam, o centro da cidade está construído no fundo de uma 'concha', tipo anfiteatro virado para o rio Tejo que, por sua vez, também reflete o sol.

Finalmente, o sol ganha ainda mais relevo devido aos materiais usados na construção de Lisboa. Ana Eiró recorda as "cores claras (rosas, amarelos, ocres) e muitos calcários, além da calçada portuguesa que reflete e dispersa a luz de uma forma incrível que não existe noutros locais da Europa".
Além de explicar a luz, a exposição inaugurada hoje quer levar os visitantes a perceber, através da ciência, das artes e até da publicidade, aquilo que faz de Lisboa uma cidade diferente das outras. Pode ser visitada até 20 dezembro e a entrada normal custa três euros.


No comments:

Post a Comment